sambafoot

PUBLICIDADE

sambafoot - Sem patrocinador máster, Vasco estampa luta contra o racismo na camisa

Enquanto não tem nova marca de casa de apostas, clube usa terceiro uniforme em ambos os jogos e celebra Resposta Histórica

19 jan2024 - 12h48
(atualizado em 22/1/2024 às 11h32)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Matheus Lima /Vasco - Legenda: Logomarca contra o racismo assume espaço provisório na camisa; comemoração de Leandrinho / Jogada10

Em processo de transição para o novo patrocinador máster, o Vasco escolheu estampar a logomarca do Observatório da Discriminação Racial no Futebol nas duas partidas da estreia em 2024. O fato tem a ver com o centenário da Resposta Histórica, de 1924, em que o clube foi decisivo no combate ao elitismo e ao racismo no futebol e na sociedade.

Assim, os times utilizaram, em ambos os jogos, o terceiro uniforme, que fez sucesso na temporada passada. O Vasco ainda publicou um vídeo reforçando sua posição. Símbolo recente da luta, o zagueiro Léo, autor do gol da vitória sobre o San Lorenzo, no Uruguai, falou sobre o tema.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Vasco (@vascodagama)

"Quando você veste uma camisa do tamanho do Vasco da Gama, você tem que dar a vida e o seu melhor. Ainda mais pela causa que eu defendo muito, que me fez respeitar demais o clube. Então eu quero homenagear quem, em algum momento, passou por racismo, sofreu algum preconceito, como eu já sofri", destacou o jogador.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Vasco (@vascodagama)

Expectativa pelo novo patrocinador

Em breve, o Vasco terá a EstrelaBet como patrocinador máster na camisa. A empresa chegou em um acordo com a SAF para pagar R$ 45 milhões por ano, desbancando a PixBet, que sai de cena. O clube vai receber, então, o dobro do contrato anterior.

Há, ainda, aditivos que podem fazer o valor chegar a R$ 55 milhões por temporada, o que superaria o São Paulo e, portanto, colocaria o Cruz-Maltino em quarto entre os maiores patrocínios do futebol brasileiro atualmente.

Na semana passada, um jogador vascaíno voltou a sofrer racismo durante a disputa da Copinha. O volante Lucas Eduardo, que entrou no segundo tempo da vitória sobre o Boavista, pelo Carioca, recebeu a medalha Pai Santana, em nome do combate ao racismo.

"Eu agradeço muito ao Vasco, porque mais do que um atleta, o Vasco me formou como homem, como homem e eu tenho muito orgulho de estar aqui", disse Lucas Eduardo, que recentemente completou 20 anos.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Vasco (@vascodagama)

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Vasco (@vascodagama)

Siga o Jogada10 nas redes sociais: TwitterInstagram e Facebook.

sambafoot
Compartilhar
Publicidade
Publicidade
sambafoot Mapa do site